Sintaxe – O nome

Sujeito – É o ser de quem se diz alguma coisa. É um termo que concorda com o verbo, constitui o assunto central da oração e normalmente apresenta como núcleo um substantivo, um pronome ou uma palavra substantivada. Ex: Soou na escuridão uma pancada seca.

Obs: O resto da oração, que não o sujeito, se chama predicado.

 

– Sujeito simples: Tem apenas um núcleo. Ex: Certamente o advento do cinema falado fez mal aos atores de cinema mudo.

– Sujeito composto: Tem dois núcleos. Ex: Esquetes, montagens capciosas de imagens de celebridades e paródias de notícias representam esse novo humor.

– Sujeito desinencial: Não aparece na oração, mas pode ser facilmente identificado pela desinência do verbo. Ex: Ligue (você) o computador.

– Sujeito indeterminado: É aquele que não é nomeado na oração. Ex: Por outro lado, nunca se conviveu com tanto humor.

– Sujeito inexistente: A declaração expressa pelo predicado é atribuída a nenhum ser. Ex: Escureceu cedo hoje, Havia pessoas na fila, Era noite, Fazia semana que ele viajará.

 

– Sujeito agente: é o que praticava a ação, quando a oração está na voz ativa. Ex: Aquele jovem optou por medicina.

-Sujeito paciente: O sujeito recebe a ação, quando a oração está na voz passiva. Ex: A carta de recomendação foi digitada pela secretária.

*Voz passiva sintética: Formada pelo verbo transitivo direto na 3ª pessoa + se (pronome apassivador) + sujeito paciente.

Ex: Construíram-se edifícios arrojados.

* Voz passiva analítica: formada pelos verbos ser ou estar + particípio do verbo principal + agente da passiva.

Ex: Os edifícios arrojados foram construídos por uma empresa multinacional.

Agente da passiva

– Sujeito agente e paciente: O sujeito recebe e pratica a ação, quando a oração está na voz reflexiva. Ex: Mãe e filha se abraçam.

Adjunto adnominal – É o termo que modifica o substantivo. Ex: o que é isto? Tem um ar nojento.

Complemento nominal – É o termo sintático que complementa nomes e é imprescindível na oração para passar a informação desejada. Ex: O torcedor tinha fé em seu time.

Aposto – É o termo da oração que se refere a um substantivo, a um pronome ou a uma oração para explicá-los, ampliá-los, resumi-los ou identificá-los. Ex: Àquela hora a Avenida Brasil estava intransitável. Guitarra, baixo, bateria, tudo isso virou obsoleto.

Obs: O aposto pode vir prescindido de expressões explicativas. Ex: Este advogado como representante desta comunidade, é imprescindível.

Vocativo – É o termo da oração por meio do qual chamamos ou interpelamos nosso interlocutor. Ex: Pessoal! Vamos embora! Você tomou seu remédio hoje, Wood?

About thismaybeme

read the blog :P
This entry was posted in Português and tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s