Histologia vegetal

Tecidos meristemáticos: São tecidos indiferenciados que se diferenciam em todos os outros tecidos vegetais.

Meristemas primários: Originam-se das células do embrião da planta e são responsáveis pelo crescimento longitudinal. Podem ser classificadas em:

Protoderme: forma a epiderme

Meristema fundamental: forma a casca

Pleroma: forma o cilindro vascular, onde se encontram os vasos condutores.

Meristema apical do caule: Localiza-se na ponte do caule.

Meristema sub-apical da raiz: Localiza-se na ponta da raiz, envolvido pela coifa.

Gemas laterais: Situam-se no caule e originam as ramificações laterais.

Meristemas secundários: São oriundos da desdiferenciação dos tecidos permanentes e promovem o crescimento em espessura. São eles:

Felogênio: Forma a periderme (súber e feloderma).

Câmbio interfascicular: Forma o floema e o xilema secundários.

Tecidos permanentes: São os tecidos oriundos da diferenciação, logo, são especializados.

Tecidos de proteção e revestimentos

Epiderme: É formada por células achatadas e, em sua maioria, aclorofiladas, refeste caules e raízes jovens, bem como folhas. As partes em contato com o ar são impermeabilizadas pela cutícula, formada pelo lipídeo cutina. Possui pelos, para absorção, secreção ou proteção, acúleos, para proteção, hidatódios, responsáveis pela saída do excesso de água e estômatos, responsáveis pela transpiração e trocas gasosas do vegetal.

Súber: Recobre caules e raízes mais velhos. É formado por células mortas, impregnadas por suberina. É responsável, assim como a cutícula, pela impermeabilização vegetal.

Tecidos de sustentação

Colênquima: Formado por células vivas, sua resistência estrutural se deve a suas paredes grossas, espessadas por celulose. É encontrado em feixes, geralmente abaixo da epiderme, ao longo de vasos condutores primários e de órgão em crescimento.

Esclerênquima: Formado por células mortas, de paredes extremamente grossas, impregnadas por lignina, substância resistente e insolúvel em água. É encontrado principalmente em órgãos adultos, mas também em alguns frutos, caroços e em fibras.

Tecidos de preenchimento: Os parênquimas

Parênquima clorofiliano: É formado em células ricas em cloroplastos, sendo responsável pela fotossíntese. É encontrado principalmente em folhas.

Parênquima aerífero: Acumula ar, promovendo a flutuação de plantas aquáticas.

Parênquima aquífero: Permite a retenção de água pelas células, é encontrado principalmente em plantas de clima seco.

Parênquima amilífero: Acumulo amido, polissacarídeo de reserva vegetal, sendo encontrado em raízes e caules suberosos.

Tecidos condutores

Xilema: É um tecido formado por elementos condutores, elementos de vasos, células de parênquima e de esclerênquima. Suas células são mortas e extremamente resistentes. Tem a função de conduzir a seiva bruta, originada da absorção da raiz e formada por água e nutrientes minerais.

Floema: É um tecido formado por parênquima, esclerênquima e vasos liberianos, que são células vivas, porém anucleadas, que formam pontes citoplasmáticas para livre passagem da seiva. Conduz a seiva elaborada, proveniente da atividade fotossintética e rica em compostos orgânicos.

Obs:

About thismaybeme

read the blog :P
This entry was posted in Biologia and tagged , , , , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s