Bactérias

Morfologia bacteriana: Bactérias são seres unicelulares, que diferem dos outros seres vivos por serem procarióticas e por terem uma parede bacteriana, um envoltório externo rígido que as protege e da forma. A célula bacteriana apresenta uma molécula de DNA que contém todos os genes essenciais a vida da bactéria e encontra-se diretamente na membrana plasmática, sendo chamado de nucleóide. Além disso, algumas bactérias possuem pequenas moléculas de DNA, os plasmídios, que geralmente contém genes para destruir moléculas de antibióticos. Muitas bactérias se movimentam graças ao batimento de longos filamentos protéicos ligados a parede e a membrana celular, denominados flagelos bacterianos. Há milhares de espécies de bactérias. Muitas espécies formam agrupamentos, nos quais as bactérias participantes mantém sua individualidade e podem sobreviver sozinhas.

Nutrição das bactérias: As bactérias podem ser divididas em quatro grupos, quanto a suas necessidades nutricionais.

Bactérias fotoautotróficas – São autotróficas e fototróficas. Podem ser proclorófitas e cianobactérias (12H2O + 6CO2 → 6O2 + 6H2O + C6H12O6) ou sulfobactérias (12H2S + 6CO2 → 6S2 + 6H2O + C6H12O6) – São anaeróbias (não utilizam ) obrigatórias, pois o gás oxigênio inibe a produção dos pigmentos fotossintetizantes em suas células.

Bactérias foto-heterotróficas – São fototróficas, heterotróficas e anaeróbicas.

Bactérias quimioautotróficas – São autotróficas e quimiotróficas (dependem da oxidação de compostos inorgânicos com fonte de energia)

Bactérias quimio-heterotróficas – São quimiotróficas e heterotróficas, retirando sua fonte de energia e de carbono de moléculas orgânicas ingeridas como alimento. Podem ser saprofágicas (alimentam-se de matéria orgânica sem vida, são decompositoras) ou parasitas (obtêm alimento a partir de tecidos corporais de seres-vivos, em geral, causando doenças.)

Reprodução das bactérias:

As bactérias apresentam reprodução assexuada por divisão binária (ou fissão binária). O cromossomo da célula bacteriana se duplica e ela se divide ao meio.  Em algumas horas, pode haver milhares de bactérias idênticas, denominadas clone.

Sob certas condições ambientais, como a alta de nutrientes essenciais ou água, algumas espécies de bactérias formam estruturas denominada endósporos. O processo de formação do endósporo, esporulação ou esporogênese, resulta da desidratação da célula. O cromossomo bacteriano duplica-se e uma das cópias isola-se, sendo envolvida pelo citoplasma. Uma parede espessa envolve o citoplasma, formando o endósporo. O resto do conteúdo celular degenera e a parede celular original se rompe, libertando-o. Essa estrutura é capaz de permanecer anos com atividade metabólica suspensa. Ao encontrar um ambiente adequado, o endósporo hidrata-se, sua parede se rompe e reconstitui-se a bactéria.

Uma bactéria pode adquirir genes de outra bactéria e misturá-los aos seus através de três maneiras de recombinação genética. A transformação bacteriana ocorre pela absorção de molécula de DNA dispersas no ambiente, não necessariamente da mesma espécie de bactéria. Ocorre que o DNA só será introduzido no cromossomo bacteriano se for semelhante ao DNA da bactéria receptora. A transdução bacteriana consiste na transferência de segmente de moléculas de DNA de uma bactéria para outra através de vírus bacteriófagos. Já a conjugação bacteriana consiste na transferência de DNA de uma bactéria doadora para uma receptora através de um tubo de proteínas denominado “pelo sexual” ou pili.

Bactérias e biotecnologia: O desenvolvimento científico e tecnológico tem possibilitado o aproveitamento de seres vivos em tecnologias úteis à humanidade, atividade conhecido genericamente como biotecnologia. As bactérias podem ser utilizadas na produção de alimentos, na indústria farmacêutica, na decomposição de lixo e na Engenharia Genética, com o desenvolvimento da técnica do DNA recombinante. Bactérias também podem ser utilizadas para limpar áreas ambientais contaminadas por poluentes através da biorremediação.

Arqueas: São muito semelhantes às eubactérias. Porém não apresentam, em sua parede, o peptidoglicano, constituinte típico das bactérias. Além disso, a organização e funcionamento de seus genes é extremamente diferente. As arqueas vivem em ambientes extremos, que não haveriam mudado muito desde a Terra primitiva. Algumas propostas recentes de classificação propõe um novo nível taxionômico, o domínio. Haveria o domínio Bacteria (bactérias), o domínio Archaea (arqueas) e o domínio Eukarya (protoctistas, fungos, plantas e animais – ou seres eucarióticos).

About thismaybeme

read the blog :P
This entry was posted in Biologia and tagged , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s